28 de fev de 2013

Perseguindo JOSÉ DIAS PINTO CARNEIRO

Nas pesquisas genealógicas, deparamo-nos com ancestrais que nos chamam mais ou menos a atenção. Um dos que mais me atraiu foi meu trisavô JOSÉ DIAS PINTO CARNEIRO. Ainda tenho dúvidas sobre sua nacionalidade: se portuguesa como tudo indica ou brasileira.

Também a respeito dos nomes dos seus pais pairam as dúvidas: MANOEL ANTÔNIO DIAS E JOZEPHA MARIA PINTO CARNEIRO. Estaria incompleto o nome do pai?

A última sesmaria concedida, por detrás do Rio Paquequer, segundo João Oscar e Roberto Féo, ocorreu em 1820 e para um MANOEL ANTONIO DIAS CARNEIRO. E o referido tomou posse da mesma.

Há divergência com relação à data de nascimento, já que a idade do meu ancestral é apresentada divergentemente em vários documentos. Mas a hipótese mais acertada, dá seu nascimento por volta de 1840. Seria ele filho de MANOEL ANTONIO DIAS CARNEIRO? Improvável, mas factível.

Morou em Sebastiana, onde foi eleito JUIZ DE PAZ, até 1895. Documento presente no livro RAÍZES DE TERESÓPOLIS, de Roberto Féo, apontam-no, não só como "pharmaceutico", mas também como professor de música.

Não possuo seu registro de nascimento, casamento ou óbito. Nascimento, ainda não há a mínima ideia, apenas uma suspeito pela cidade do PORTO, mas qual freguesia? Já que pretendo que ouvi meu avô mencionar isso alguma vez. Casamento, há a notícia de que o mesmo teria ocorrido em "Therezopolis", de onde é originária sua esposa MARIA LUDOVINA DE ARAUJO. Estive recentemente na Igreja de Nossa Senhora da Conceição de Nhunguaçu, em Venda Nova, Teresópolis, Estado do Rio de Janeiro, Brasil. Encontrei a certidão de batismo de meu bisavô, FRANCISCO DIAS CARNEIRO (ou como em alguns documentos recentes FRANCISCO DIAS PINTO CARNEIRO), nascido em 1876. Há um irmão do meu bisavô, o primogênito JOSÉ DIAS PINTO CARNEIRO JUNIOR que teria nascido em 1860. Filho do mesmo casamento! Não encontrei registro do casamento naquela Igreja. E a informação é de que o mesmo poderia ter sido realizado na Igreja de Santo Antônio do Paquequer, em Teresópolis. Mas ainda não obtive autorização para investigar os livros eclesiais daquela paróquia. O casamento teria se dado por volta de 1858. Registro de óbito também não possuo. Seu falecimento deve ter ocorrido em Pedro do Rio, 4º distrito de Petrópolis, Estado do Rio de Janeiro, Brasil, após 1909.

Contudo, é o ancestral que mais aparece nas folhas de jornal da hemeroteca da Biblioteca Nacional. Aliás, um projeto fantástico essa hemeroteca on line! 

Da mesma forma, no rastro, procuro descobrir algo sobre sua esposa MARIA LUDOVINA DE ARAUJO, filha de ANTONIO PINTO DE ARAUJO E GENOVEVA ADELAYDE "DE ARAUJO". Seriam naturais de "Therezopolis" também, mas devem ter falecido em data anterior a 1889, pois não encontro referência aos mesmos nos livros de registro civil de Teresópolis, através do www.familysearch.org Acho que a Paróquia do Alto, em Teresópolis, devem revelar alguns desses segredos.





FAMÍLIA LUNDGREN - Da Suécia para Recife e o Brasil

HERMAN THEODOR LUNGREN, b., about 1835, in NorrKöping, Ostergötland, Sweden; d., about 11/02/1907, in Recife, Pernambuco, Brasil. Filho de JOHANN WILHELM LUNDGREN. Cc., about 1877, in Pernambuco, Brasil, com ANNA ELISABETH STOLZENWALD, b., 15/01/1847, in Barmstedt, Holsteim, Germany. Filha de JOHANN FRIEDRICH STOLZENWALD e REGINA GEIRING. Pais de:
F1- CORONEL FREDERICO JOÃO LUNDGREN, b., 20/06/1879, in Recife, Pernambuco, Brasil; d., 25/02/1946. Cc., LAURA DE SOUZA LEÃO PASSO, d., 07/12/1012. Filha de MARIA ADELAIDE DE SOUZA LEÃO. O casal não deixou filhos.
F2- GUILHERME ALBERTO LUNDGREN cc. THERESA MATILDE, b. in England. Pais de:
N1- ALBERTO THEODOR LUNGREN. Cc. LIZELOTE.
N2- ARTHUR AXEL LUNDGREN, b., 29/10/1909, in Southampton, England. Cc. GERTRUDES.
F3- HERMAN LUNDGREN JUNIOR, d., about 1953, in Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, cc. ELISABETH.
N3- ANITA LUNDGREN. cc. KARL RÜGER.
F4- ANNA LOUISE LUNDGREN cc ALBERTO GROSCHKE. Pais de:
N4- N5- ERENITA HELENA GROSCHKE CAVALCANTI LUNDGREN, d., 1990, in Recife, Pernambuco, Brasil. Cc., ROBERT BRUCE HARLEY, b., 20/12/1920, in Filadelphia, Pa, USA, filho de HUGH JOSEPH HARLEY e ELEANOR REGINA CLANCY.
B1- ANITA LOUISE REGINA HARLEY.
B2- ROBERT BRUCE HARLEY JUNIOR, d., 1999.
B3- ANA HELENA CHRISTINA HARLEY LUNDGREN, b., 21/03/1950, in São Paulo, São Paulo, Brasil, d., 28/07/2001.
F5- COMENDADOR ARTHUR HERMAN LUNDGREN, b., 10/11/1882, in Ponte dos Carvalhos, Cabo de Santo Agostinho, Pernambuco, Brasil, d., 21/11/1967, in Recife, Pernambuco, Brasil. 
Da relação de Arthur Herman Lundgren com AMARA DA PAIXÃO CAVALCANTI, nasceu:
N5- MILTON CAVALCANTI LUNDGREN, b., about 1917, in Paulista, Pernambuco, d., 28/06/1976, in Recife, Pernambuco, Brasil. Cc.,  RUTH SETTMACHER, filha de ERNEST AUGUST HERMANN  SETTMACHER, b., 18/12/1893, in Germany, filho de CARL SETTMACHER E EMILIA SETTMACHER e ESTHER SCHON Y LAU, b., 04/05/1900, in (provavelmente, Cercado de Arequipa, Arequipa), República do Peru, filha de Bruno Lau e Sophie Schoen. Pais de:
B4- ERNESTO CAVALCANTI LUNGREN CC JANETTE MARTINS, filha de JOÃO CUSTÓDIO e MARIA MARTINS. Pais de:
T1- Claudia Christina Martins Lundgren.
B5- ARTHUR CAVALCANTI LUNDGREN, d., 10/06/1967, in Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.
Cc., ELISA NOGUEIRA, d., about 10/1981, in Recife, Pernambuco, Brasil.
Pais de:
N6- NILSON NOGUEIRA LUNDGREN.
N7- WILMA NOGUEIRA LUNDGREN.
N8- CARLOS NOGUEIRA LUNDGREN.
N9- ELISABETH NOGUEIRA LUNDGREN.
N10- SELMA NOGUEIRA LUNDGREN.

Legendas:
F- filho.
N- neto.
B- bisneto.
b- nascido.
d- falecido.

BORGES LEAL EM SÃO VICENTE DE PAULO, ARARUAMA E CABO FRIO

Recentemente estive no ARQUIVO DA DIOCESE DE NITERÓI. Interessante a forma como essa Diocese disponibiliza os seus arquivos. Concentrou todos os livros antigos num mesmo local, franqueando a consulta gratuita. Não é permitida a fotografia das páginas. As certidões são fornecidas por preço relativamente módico. Acessei o Arquivo a partir do Colégio Brasileiro de Genealogia e da Universidade Federal Fluminense.

Meu interesse nos Arquivos derivavam de uma informação sobre meu bisavô ANTÔNIO BORGES LEAL, o qual, em sua certidão de casamento, informou que era natural de SÃO VICENTE DE PAULO. De início coube a averiguação de que SÃO VICENTE DE PAULO, hoje distrito de ARARUAMA, no Estado do Rio de Janeiro, esteve desde a sua criação, ora vinculado a SAQUAREMA, ora a ARARUAMA e antes disso a CABO FRIO.

O sobrenome BORGES LEAL corresponde a uma família significativa para a História do PIAUÍ, sobretudo do Município de PICOS - PI, mas não consegui, ou ainda não consegui estabelecer qualquer relação.

ANTÔNIO BORGES LEAL informa na certidão de casamento ter pouco mais de 21 anos. Casamento realizado em NOVA FRIBURGO, em 14 de setembro de 1901, com LUIZA GUILHERMINA HERDY. Portanto, sua idade poderia situar seu nascimento entre os anos de 1878 e 1880. Informa ele ainda ser filho de MIGUEL BORGES LEAL e LINA MARIA DA CONCEIÇÃO.

Sem um documento oficial, impossível encontrar algum dado sobre LINA MARIA DA CONCEIÇÃO, já que o "DA CONCEIÇÃO" não seria propriamente o sobrenome familiar, mas um símbolo de fé; já que as mulheres, no Século XIX, ainda não tenho a razão específica para isso, recebiam nomes "sagrados", católicos, vinculados normalmente à Nossa Senhora, como: Da Conceição, Da Purificação, Do Amor Divino, De Deus, etc. Seria necessário encontrar alguma certidão para identificar o nome da família ao qual pertence LINA MARIA. E provavelmente seu nome nem deveria ser realmente LINA, mas um outro e aqui temos apenas o apelido ou abreviação.

 Sem falar que ANTÔNIO BORGES LEAL também informa que os pais estão falecidos na data do seu casamento. 

E sendo ele natural de SÃO VICENTE DE PAULO o que estaria fazendo em NOVA FRIBURGO, trabalhando como negociante ou comerciário?

No registro do LIVRO DE TERRAS DE 1850, encontrado on line, no site do ARQUIVO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, no livro referente à FREGUESIA DE SÃO VICENTE DE PAULO, há a menção a, provavelmente, dois irmãos: JOÃO BORGES LEAL e o finado JOSÉ BORGES LEAL - pois há menção aos herdeiros ou órfãos de JOSÉ BORGES LEAL.

Uma hipótese sem confirmação seria que MIGUEL BORGES LEAL seria filho do finado JOSÉ BORGES LEAL e não conseguiu ou não quis, com seus irmãos, manter as terras do pai e por isso foi obrigado a ir para outro Município. Mas seu casamento teria se dado ainda em SÃO VICENTE DE PAULO.

Na visita aos arquivos da DIOCESE DE NITERÓIS, face ao horário atrasado que cheguei, só consegui examinar parcialmente o LIVRO DE BATISMO E CASAMENTOS DE ESCRAVOS E LIVRES DE SÃO VICENTE DE PAULO (1860 - 1889) e, ao invés de me concentrar nos casamentos, busquei registros de batismo, tentando encontrar o ANTONIO BORGES LEAL. Nada encontrei ainda de significativo, apenas informações sobre JOÃO BORGES LEAL E JOSÉ BORGES LEAL.

1- Certidão de batismo de MARIA BORGES, nascido em 29/06/1865, em São Vicente de Paulo, Araruama, Estado do Rio de Janeiro Brasil e batizada em 01/09/1865, na mesma freguesia. Filha de PEDRO JOSÉ BORGES, filho de JOSÉ BORGES LEAL e MARIA JOANA DE LIMA, e AGUEDA MARIA DA TRINDADA, filha de CAMILO JOSÉ RODRIGUES NOGUEIRA e CATHARINA MARIA DA CONCEIÇÃO.

2- Certidão de batismo de FRANCELINO DE SIQUEIRA, batizado em 18/10/1865, em São Vicente de Paulo, Araruama, Estado do Rio de Janeiro, Brasil. Filho de ANTONIO NUNES DE SIQUEIRA, filho de VICENTE JOSÉ DE SIQUEIRA e MARIA ANGÉLICA DO ESPÍRITO SANTO e JOAQUINA ROSA DE LIMA, filha de JOÃO BORGES LEAL e ROSA FERNANDES LIMA.

3- Certidão de batismo de CONSTÂNCIA DOS SANTOS, nascida em 21/12/1864 e batizada em 08/02/1865, ambos em SÃO VICENTE DE PAULO, Araruama, Estado do Rio de Janeiro, Brasil. Filha de FRANCISCO FREIRE DOS SANTOS, filho de NARCIZO TEIXEIRA DOS SANTOS e PAULINA MARIA, e FORTUNATA ROSA DE LIMA, filha de JOÃO BORGES LEAL E ROSA FERNANDES LIMA.

Como em 1865, os netos de JOÃO BORGES LEAL E JOSÉ BORGES LEAL, já estavam sendo batizados e meu bisavô nasceu por volta de 1879, então ou MIGUEL BORGES LEAL é um filho meio temporão desses personagens, ou já seria neto ou não teria nada a ver como descendente direto deles? Enfim não tenho quase nada.

Através da Universidade Vanderbilt, encontrei em CABO FRIO, no LIVRO 6 BATIZADOS, existem dois registros - só consegui consultar o índice - dois batizados de dois filhos de JOSÉ JOAQUIM BORGES LEAL e JOAQUINA MARIA DO ESPÍRITO SANTO, respectivamente ALBINO E BRÍGIDA. Ao que tudo indica em data anterior a 1855. Pois a Igreja teria sido edificada em SÃO VICENTE DE PAULO apenas neste ano. Não consegui ainda localizar o livro 6 de Cabo Frio para reconhecer a data. Seria um outro irmão ou um antecedente ou o nome completo de JOSÉ BORGES LEAL com um primeiro casamento?

As respostas estão nos Arquivos da Diocese de Niterói. Terei que retornar lá para consegui-las. 

FAMÍLIA DE LOUREIRO, DE VILA COVA A COELHEIRA

JOÃO DE LOUREIRO, b., about 1804, cc., ANNA DOS REIS, com filhos:
F1- CUSTÓDIA DE LOUREIRO, b., 16/06/1833, in Vila Cova A Coelheira, Vila Nova de Paiva, Viseu, Portugal; c., 25/06/1833, Igreja de São João Batista, Vila Cova A Coelheira, Vila Nova de Paiva, Viseu.
F2- MARIA DE LOUREIRO, b., 23/04/1837, in Vila Cova A Coelheira, Vila Nova de Paiva, Viseu, Portugal; c., 30/04/1837, in Vila Cova A Coelheira, Vila Nova de Paiva, Viseu, Portugal.
F3-MANOEL DE LOUREIRO, b., in Vila Cova A Coelheira, Vila Nova de Paiva, Viseu, Portugal. Cc., VICTORIA DA CUNHA, b., 15/04/1847, in Vila Cova A Coelheira, Vila Nova de Paiva, Viseu, Portugal; c., 22/04/1847, in Vila Cova A Coelheira, Vila Nova de Paiva, Viseu, Portugal, filha de JOSÉ DA CUNHA, b. about 1819, in Vila Cova A Coelheira e AGUEDA DA SILVEIRA, b., about 1823. Com filhos:
N1- MARIA DE LOUREIRO, b., 06/05/1867, in Vila Cova A Coelheira, Vila Nova de Paiva, Viseu, Portugal; c., 13/05/1867, in Vila Cova A Coelheira, Vila Nova de Paiva, Viseu, Portugal.
N2- COSTÓDIA DE LOUREIRO, b., 23/01/1870, in Vila Cova A Coelheira, Vila Nova de Paiva, Viseu, Portugal; c.; 30/01/1870, in Vila Cova A Coelheira, Vila Nova de Paiva, Viseu, Portugal.
N3- ANTONIO DE LOUREIRO, b., 24/09/1877, in Vila Cova A Coelheira, Vila Nova de Paiva, Viseu, Portugal; c., 14/10/1877, in Vila Cova A Coelheira, Vila Nova de Paiva, Viseu, Portugal.
N4- VICTORINO DE LOUREIRO, b., 12/08/1871, in Vila Cova A Coelheira, Vila Nova de Paiva, Viseu, Portugal; c., 21/08/1871, na Igreja de São João Batista, Vila Cova A Coelheira, Vila Nova de Paiva, Viseu, Portugal; d., 05/02/1946, in Vila Cova A Coelheira, Vila Nova de Paiva, Viseu, Portugal. Cc., CARLOTA ANTONIA GUEDES, b., in Freguesia de Ferreirim, diocese de Lamego, distrito de Viseu. Filha de MAXIMIANO GUEDES e IRMA THOMAZIO. Pais de:
B1- MARIO DE LOUREIRO cc. MARIA RODRIGUES FERREIRA. Pais de:
T1- ALBERTO RODRIGUES DE LOUREIRO, b., 17/01/1835, in Vila Cova A Coelheira, Vila Nova de Paiva, Viseu, Portugal.
B2- MANOEL DE LOUREIRO cc ROZA LOPES MARTINS, b., in Espanha; d., in Rio de Janeiro, Brasil. Filha de José Lopes e Roza Martins. Pais de:
T2- ADELINA LOPES GUEDES, b., 24/02/1923, in Nova Friburgo, Rio de Janeiro, Brasil. Cc., in 02/10/1945, com JOSÉ LUÍS PEREIRA. Pais de:
TE1- CELIO GUEDES PEREIRA.
TE2- CLAUDIO GUEDES PEREIRA.
TE3- CELSO GUEDES PEREIRA.
TE4-ILZELY GUEDES PEREIRA.
T3- ALBERTO LOUREIRO GUEDES cc CATARINA.
B3- JOÃO DE LOUREIRO cc HERMINIA. FOI PARA O ESPÍRITO SANTO. Pais de:
T4- GRAÇA DE LOUREIRO.
T5- GENI DE LOUREIRO.
T6- ZEOMAR DE LOUREIRO.
T7- ZILMA DE LOUREIRO.
T8- JEONOR DE LOUREIRO.
B4- MARIA GUEDES cc ALBERTO. Pais de:
T9- AMÉRICO GUEDES.
T10- ALBERTO GUEDES.
T11- VALENTIM GUEDES.
B5- VALENTIM DE LOUREIRO, b., 21/08/1911, in Vila Cova A Coelheira, Vila Nova de Paiva, Viseu, Portugal. Cc., CUSTÓDIA RODRIGUES FERREIRA. Pais de:
T12- JOÃO RODRIGUES DE LOUREIRO.
T13- FERNANDO RODRIGUES DE LOUREIRO.
T14- ALICE FERREIRA, b., about 1930, in Portugal. Cc., MARIO, d., in 04/09/2001, in Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
B6- JOAQUIM DE LOUREIRO cc AMÉLIA. FOI PARA DUQUE DE CAXIAS. Pais de:
T15- CARLOTA DE LOUREIRO.
T16- NOEMIA DE LOUREIRO.
T17- MOACIR DE LOUREIRO.
T18- MILTON DE LOUREIRO.
B7- ANTONIO DE LOUREIRO (depois ANTONIO LOUREIRO GUEDES), b., 11/08/1893, in Vila Cova A Coelheira, Vila Nova de Paiva, Viseu, Portugal; d., 07/09/1953, in Rio de Janeiro, RJ, Brasil. Cc., 30/12/1920, in Nova Friburgo, Rio de Janeiro, Brasil, com EDUVIL BORGES LEAL, b., 21/05/1902, in Nova Friburgo, Rio de Janeiro, Brasil; d., 09/1975, in Petrópolis, Rio de Janeiro, Brasil. FOI O PRIMEIRO FILHO DO CASAL.Pais de:
T19- MARIA DE LOURDES LEAL GUEDES.
T20- EMILIA LEAL GUEDES.
T21- AMÉRICA LEAL GUEDES.
T22- JUDITH LEAL LOUREIRO.
T23- LAÍS LEAL LOUREIRO.
T24- NILZA LEAL GUEDES.
T25- SUELI LEAL GUEDES.
T26- SONEA LEAL GUEDES.

Legenda:
F- filho.
N- Neto.
B- Bisneto.
T- Trineto.
TE- Tetraneto.
b- Nascido.
c- Batizado.
d- Falecido.

Buscas em Portugal

As informações familiares, sem dúvida, são de uma riqueza sem igual para a pesquisa genealógica. Velhas histórias, memórias, informações e daí fotos. Um registro de nascimento, batismo, casamento, óbito contém dados imprescindíveis.
Tenho um ramo familiar oriundo de Portugal, a partir de meu avô ANTÔNIO DE LOUREIRO, na certidão de batismo, mas ANTÔNIO LOUREIRO GUEDES, a partir de sua imigração para o Brasil.
Minha tia NILZA GUEDES DUARTE de uma tacada me trouxe a freguesia de origem de meu avô, VILA COVA A COELHEIRA, município de VILA NOVA DE PAIVA, distrito de VISEU, diocese de LAMEGO.
No site do www.familysearch.org encontrei o batch number da freguesia. Tive sorte, pois, apesar dos livros da freguesia ainda não estarem on line, na versão mais antiga existem algumas informações de batismo digitalizadas.
Em contato com o ARQUIVO DISTRITAL DE VISEU, AdVISEU, solicitei algumas certidões. Imediatamente encontradas e, sob o pagamento de módica quantia, são enviadas.
Surgiu evidentemente um problema com relação ao envio dos valores para Portugal para pagar as certidões. Contei com uma inestimável amiga que viajou recentemente para Lisboa, MARIA CLAUDIA VILHENA, conseguiu para mim as certidões. 
Achei impressionante a organização e a preocupação dos portugueses com relação à genealogia. Bastante diferente do Brasil, onde as informações - ainda que recentemente mais cuidadas - ainda estão dispersas e normalmente são de difícil acesso.
O envio de valores para fora do país - cá entre nós - salvo o Vale Postal dos Correios tem sido para mim uma maratona um tanto complicada. Há necessidade de se ter conta em determinados bancos específicos e a tarifa bancária não é das menores.
Mas as pesquisas vão avançando.